sábado, 28 de junho de 2008

Morador de rua passa em concurso do BB e assume cargo em julho


Ubirajara Gomes da Silva passou na 136ª posição, entre 171 classificados para Recife.

Ele carregava pasta com cópias de apostilas e provas e estudava em praças e bibliotecas.

Marta Cavallini

Diário de Pernambuco

Ubirajara diz que prestou cinco concursos em dois anos. Enquanto vivia de fazer bicos e pedir esmola, Ubirajara Gomes da Silva, de 27 anos, passou quase um ano carregando pelas ruas do Recife uma folha de papel dobrada com o comprovante de classificação no concurso do Banco do Brasil.

Neste mês, foi convocado para assumir o cargo de escriturário, cujo salário inicial é de R$ 942,90, mais gratificação de 25%.

Silva ficou na 136ª posição, entre 171 classificados para trabalhar no Recife. A aprovação no concurso não significa apenas um emprego para ele. Morador de rua há 12 anos, Silva finalmente vai realizar o desejo de ter um lar.

Nas últimas semanas, ele tem vivido dias de "celebridade" nas ruas da capital pernambucana e também no site de relacionamentos Orkut – quase 400 recados foram postados em seu perfil com saudações pela conquista e votos de boa sorte, principalmente de candidatos a concursos.

Mas como um morador de rua tem um perfil no Orkut? Silva diz que costuma usar computadores em bibliotecas públicas e lan-houses que cobram preços baixos pelo uso. “Eu escolho entre comer ou acessar a internet”, conta.

Foi pela rede mundial de computadores que ele leu o edital do concurso, conseguiu material de estudo e trocou informações com outros candidatos. E foi também pela internet, em setembro do ano passado, que ele ficou sabendo que havia sido classificado no concurso. A boa notícia veio três dias antes de ele completar 27 anos.

O concurso teve mais de 19 mil candidatos inscritos. A prova, realizada em agosto do ano passado, tinha 150 questões – ele acertou 116. Mas antes de tentar entrar no Banco do Brasil ele já havia prestado quatro concursos nos últimos dois anos – sempre para o cargo de auxiliar administrativo, de nível médio.

“As pessoas me diziam para prestar para cargos de nível fundamental, mas eu sabia que podia tentar para nível médio”, diz.

Silva sempre carregava uma pasta cheia de cópias de apostilas e provas anteriores e estudava em praças e bibliotecas.

Silva diz que fugiu da casa onde morava com a avó materna e quatro irmãos aos 15 anos. Ele estava na 6ª série, em 1995. Em 2001, decidiu voltar a estudar e recebeu diploma de ensino médio após ser aprovado no supletivo. Ele diz que passou a ler até três jornais diários de grande circulação por dia, além de livros sobre economia, um de seus assuntos preferidos.

Silva pensa em fazer universidade. Suas preferências são pelos cursos de ciências contábeis, economia e administração. “Esses cursos podem ajudar bastante o trabalho no banco”, diz.

Há até alguns dias atrás, Silva vivia na esquina da rua da Amizade com rua das Pernambucanas, no bairro das Graças, perto da região central de Recife. Agora, um amigo que ele conheceu pela internet ofereceu abrigo em sua casa até que ele consiga uma casa para morar.

Esse mesmo amigo, que também passou em um concurso público, mas ainda não foi chamado, pagou a parte de uma dívida de Silva para limpar o nome dele no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), uma das exigências especificadas nos editais do BB para que os candidatos possam assumir o cargo. A outra parte do empréstimo Silva parcelou em 60 vezes e pretende pagar com o salário que passará a receber.

De acordo com o Banco do Brasil, se Silva fizer todos os exames médicos necessários e providenciar toda documentação até a semana que vem, ele assumirá o cargo de escriturário no dia 7 de julho, no Centro de Operações do BB, localizado no bairro Recife Antigo. Silva afirma que fará cabelo e barba e irá vestido com a roupa nova que ganhou de amigos. (*)

(*) Esta notícia nos mostra como é possível uma pessoa vivendo em situação precária poder lutar e conseguir superar obstáculos que, à primeira vista, poderiam parecer intransponíveis. É uma lição de que a nossa sociedade livre permite o progresso individual e a ascensão social, desde que a pessoa queira e lute para tanto. Se cada um destes biscateiros, camelôs e flanelinhas buscasse se espelhar no exemplo de Ubirajara, nosso país seria um país mais desenvolvido. Por isso digo que não há como concordar com o discurso paternalista de esquerda, de que estes "coitadinhos" não tiveram chance na vida e devem receber esmolas públicas por parte de programas assistencialistas do governo. Trata-se tal notícia de um tapa na cara das esquerdas: um exemplo de alguém que não precisou de favores do governo, Bolsa Família por exemplo, e escolheu lutar com suas próprias forças para conseguir um lugar ao sol. Esse "coitadismo" ajuda a corromper os valores sociais e morais do nosso país. Além disso, a própria solidariedade não precisa ser estatizada, como visto pelo exemplo do amigo de Ubirajara. A melhor ajuda já é dada: escolas, universidades e bibliotecas públicas, todas com internet. Basta querer.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Evangélicos tentam impedir lei que criminaliza a homofobia

Manifestantes tentaram invadir o Salão Negro do Congresso durante a votação em Brasília

BRASÍLIA - Evangélicos tentam nesta quarta-feira, 25, entrar no Salão Negro durante manifestação em frente ao Congresso. Os manifestantes são contra a votação do projeto de lei que torna crime a homofobia.

O projeto altera a Lei 7.716/99, que trata de crimes de discriminação por raça, cor, etnia, religião e nacionalidade. A proposta é estender as punições aos comportamentos homofóbicos. Passaria a ser crime impedir, recusar ou dificultar o acesso ao mercado de trabalho e a ambientes públicos ou privados por causa de orientação sexual. (*)

(*) Não sou fã do regime democrático, porém, malgrado todas as suas deficiências, ainda é um regime político tolerável por permitir que haja liberdade para a prática da virtude. Neste sentido, os religiosos (evangélicos em sua maioria) estão aproveitando estas franquias que o regime lhes garante para se manifestarem pela manutenção de seus direitos, e, indiretamente, pela preservação do próprio regime democrático e da Constituição, que o PT sempre quis rasgar e fazer outra à moda soviética. O PLC 122/2006 visa destruir a a democracia, rasgar a Constituição e implantar a ditadura gay. Sem dúvida nenhuma, quem se debruçar sobre os pormenores do projeto, verá que é uma lei ditatorial e tirânica, que concede privilégios a poucos às expensas de direitos da maioria da população, que serão subtraídos com a sua vigência para alçar os gays à condição de casta privilegiada, criando uma "elite sodomita" e reduzindo os religiosos à condição de cidadãos de segunda classe. Ainda bem que os religiosos estão vigilantes, e resolveram acordar e se manifestar contra essa canalhice oriunda de políticos canalhas de esquerda. Canalhas eleitoreiros que são inimigos do povo e inimigos da liberdade. Eles amam regimes totalitários, onde a liberdade só existe na medida em que seja favorável a sua ideologia. Querem rasgar nossa Constituição e rasgar a Bíblia, o que é pior. De qualquer sorte, estão de parabéns os evangélicos pela postura ativista visando preservar nossos direitos. Esse projeto totalitário deve morrer no ninho.

terça-feira, 17 de junho de 2008

O GLOBO e sua apologia homossexual




Hoje, dia 17/06/08, quatro manchetes dando relevância a gays e homossexualismo estampando a primeira página da edição on line do jornal. Depois os gays perguntam o motivo pelo qual este assunto é tão abordado neste blog. Como se vê, o assunto é abordado aqui tendo em vista sua super-exposição na mídia.

O lobby gay está realmente forte na redação deste jornal, pois só isso pode explicar a relevância que tais noíticias fúteis vêm merecendo em seu destaque de primeira página! Querem a todo custo glamourizar esse comportamento através da estratégica repetição sistemática. Repetir, repetir, repetir um mal para tentar transformá-lo em algo bom. Repetem e repetem freneticamente para quebrar a resistência moral da população, a fim de ambientá-la ao homossexualismo como sendo algo normal e natural.

Ironicamente, quando se é para manipular, entre as mesmas notícias, no quadro mais acima, oculta-se mais um caso de pedofilia homossexual. Provavelmente o sexto só esse mês.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Dialética da contradição: apologia homossexual x campanha anti-tabaco


Notícia:

"O Dia Mundial sem Tabaco 2008 - Juventude Livre do Tabaco

A Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu o tema "Juventude Livre do Tabaco" para celebração do Dia Mundial sem Tabaco 2008 (31 de maio). Nesta data, todos os 192 Estados-Membros da OMS desenvolvem atividades sobre o tema escolhido e fortalecem a necessidade do controle do tabagismo em todo o mundo. Cada membro adapta sua campanha à realidade socioeconômica e cultural de seu país, respeitando a peculiaridade de cada povo.

No Brasil, o Ministério da Saúde, através do Instituto Nacional de Câncer (INCA), coordenador do Programa Nacional de Controle de Tabagismo, divulga e comemora, anualmente, o Dia Mundial sem Tabaco desde a sua criação. As constantes parcerias junto as Secretárias Estaduais e Municipais de Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Organizações Governamentais e Não-Governamentais, têm proporcionado o desenvolvimento de ações nacionais para sensibilizar e mobilizar a população brasileira para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais ocasionados pelo tabaco.

Este ano, o Dia Mundial sem Tabaco contará com novos aliados. Parcerias firmadas com Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) possibilitarão a difusão de informações, com maior abrangência nas ações de controle do tabagismo. Através da TV Escola (Sky - canal 112), o MEC veiculará uma programação especialmente voltada para os jovens, a partir das 8h de 31 de maio, que será também disponibilizada para as escolas de todo o país. A parceria com a SENAD proporcionou o lançamento do site http://jovemsemtabaco.senad.gov.br/, que divulga assuntos relacionados ao tabagismo, além de reforçar as ações do Dia Mundial sem Tabaco." (*)

http://www.inca.gov.br/tabagismo/frameset.asp?item=31maio2008&link=dmst2008.htm

(*) Dr. Paul Cameron, psiquiatra norte-americano, PHD, publicou estudo sobre a expectativa de vida de homossexuais [1]. Segundo ele, a típica expectativa de vida de homossexuais sugere que suas atividades são mais destrutivas do que fumar e tão perigosas quanto usar drogas.

Estudos têm demonstrado que anos de fumo encurtam a expectativa de vida do fumante de 1 a 7 anos. Mas a análise da idade de morte na Noruega e na Dinamarca para gays que estão legalmente casados sugere que se engajar em comportamento homossexual reduz a expectativa de vida em 24 anos.

Conforme frisado pelo Dr. Paul Cameron: "
Dada a grandemente reduzida expectativa de vida para homossexuais, crianças na escola deveriam ser fortemente e consistentemente avisadas sobre os perigos do homossexualismo muito mais do que de fumar. Aquelas escolas que estão introduzindo currículos pró-gay necessitam repensar suas prioridades."[2]

A preocupação da sociedade com riscos de saúde é legítima – eles impactam em nossos impostos e no perigo de todos à doença e ao dano. Porque nós temos cuidado com isso, fumantes são desencorajados de fumar por mais altos incrementos de segurança, com impostos em cigarros e com proibições de fumar em público. Essas pressões sociais motivam muitos a abandonar tais hábitos. Elas, outrossim, encorajam não-fumantes a permanecer como não-fumantes.

Homossexuais são pessoas sexualmente problemáticas se engajando em atividades perigosas. Porque nós temos cuidado com eles e aqueles que aliciam a se juntar a eles, é importante que nós nem encorajemos nem legitimemos um tal destrutivo estilo de vida.

Enfim, se precisamos de
Dia Mundial sem Tabaco, precisamos muito mais de um Dia Mundial sem Homossexualismo.

[1] http://www.lifesite.net/ldn/2007/apr/07040309.html
[2] http://www.lifesite.net/ldn/2007_docs/CameronHomosexualFootpr

terça-feira, 3 de junho de 2008

Tenente pedófilo era homossexual

O tenente Braz era casado com uma jovem de 22 anos e tinha uma filha de 9 anos, do primeiro casamento. Mas poucas pessoas sabiam disso.

- Possivelmente, nem mesmo a mulher dele sabia de qualquer envolvimento com a pedofilia. Pelo que constatamos, o Braz também tinha uma relação homossexual com o chefe da rede de pedofilia. Escutas telefônicas mostraram intimidade entre Toledo e o tenente da PM. Mas é possível também que nem mesmo essa pessoa soubesse muito sobre ele, soubesse, por exemplo, que ele era um policial - disse o capitão da Corregedoria.

(...)

O tenente trabalhava no período noturno. Entrava às 17h30m e saía às 6h do dia seguinte. Folgava 36 horas e trabalhava novamente. Um companheiro da polícia disse que o tenente era uma pessoa "sossegada, simples e muito profissional" . Para esse colega, o envolvimento com crianças pode ter sido apenas uma maneira de agradar o amigo que liderava a rede de pedofilia e com quem mantinha uma relacionamento amoroso.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...