quinta-feira, 3 de maio de 2012

Homossexual enfia enguia no ânus e cirurgia é filmada


Um vídeo com cenas de uma cirurgia realizada no Hospital Universitário (HU) de Londrina vazou na internet e nas redes sociais na tarde de ontem. O procedimento em questão era da retirada de um peixe, do tipo piramboia, - da família das enguias - do intestino de um homem que o havia introduzido no ânus. As imagens mostram o momento em que o peixe é retirado do abdômen e colocado envolto em um pano. O que chama a atenção, porém, é que na mesma sala várias pessoas aparecem portando aparelhos eletrônicos semelhantes a celulares com câmera. Uma mulher, inclusive, ri da situação enquanto grava a cena.

De acordo com a assessoria de imprensa da Universidade Estadual de Londrina (UEL), o procedimento foi realizado no dia 20 de abril e o homem já recebeu alta. Nádina Moreno, reitora da instituição, disse que assim que ficou sabendo que vídeos estariam circulando na internet por e-mails, já no dia 27 de abril, solicitou a abertura de uma portaria determinando a proibição de celulares dentro dos centros cirúrgicos e a investigação sobre o vazamento da filmagem feita sem autorização do paciente. (Portonoticias) (*)

(*) Este caso é apenas um entre tantos outros casos presentes no submundo homossexual.  A diferença é que este caso em especial ganhou ressonância na internet em virtude da filmagem.  Dezenas de outros passam simplesmente despercebidos.  A literatura médica é farta de relatos de homossexuais se entalando com garrafas, vasilhames, pepinos e até ratos para se divertir, de modo que não é surpreendente que este homossexual tenha se entalado com um peixe.  O Dr. Paul Cameron PHD revelou em artigo escrito há mais de duas décadas que "é também comum quando "brinquedos" são empregados (jargão homossexual para objetos que são inseridos no interior do reto) –garrafas, cenouras e mesmo roedores".  Há dois anos, este blog revelou "ratos que tiveram suas caudas cortadas, banhados na Vaselina e amarrados com uma corda" para serem introduzidos no ânus de psicopatas homossexuais canadenses.  Depois de suas bizarras diversões, acabam indo parar em mesas de cirurgia de hospitais públicos, para que os nossos tributos possam custear os efeitos funestos de suas diversões inconseqüentes. Depois, na maior cara-de-pau, os ativistas gays dizem que os homossexuais não causam mal algum à sociedade e que o que fazem é "amor".  Meu leitor, isso daí é "amor"? Os homossexuais querem respeito da sociedade, mas não se dão o respeito.  Pior: querem leis para tornarem indiscutíveis tais manifestações de "amor".  Em verdade, homossexuais não merecem respeito algum enquanto homossexuais.  Enquanto homossexuais, são pessoas problemáticas se engajando em atividades perigosas.  São indignas com seu estilo de vida marginal.  O homossexualismo não agrega valor a quem quer que seja.  Pelo contrário, é uma mácula na reputação de determinada pessoa.  Homossexuais são dignos de respeito enquanto seres humanos e seus legítimos desdobramentos nas relações sociais: respeito enquanto cidadão, respeito enquanto contribuinte, respeito enquanto consumidor, respeito enquanto competidor, enfim, merecem respeito em todas relações não atinentes a sua infame prática sexual.  Por conta disso, uma determinada personalidade é respeitada pelos seus méritos em suas diferentes áreas de atuação.  Assim, Freddie Mercury, por exemplo, é digno de admiração pelo seu talento enquanto cantor, não pelas suas taras de alcova.  Da mesma forma Marco Nanini, que é um ator respeitado pelo seu talento artístico, e não pelas suas preferências sexuais por homens. Um outro exemplo análogo é a questão da embriaguez.  A embriaguez é, da mesma forma que o homossexualismo, uma prática imoral.  Ninguém cogita respeito a uma pessoa embriagada, pois sua dignidade encontra-se plasmada na sua qualidade de ser humano e não em sua qualidade de embriagada.  Uma pessoa embriagada não somente perde respeito, como na prática é privada de alguns direitos, pois a embriaguez é tida como contravenção penal (art. 62 da LCP), e sabemos todos ser crime dirigir embriagado.  Trata-se de um comportamento moral e socialmente reprovável.  Da mesma forma, portanto, que a embriaguez não dá ensejo a qualquer dignidade e direitos, muito pelo contrário, opera-se o mesmo com o homossexualismo.  Ambos são comportamentos dignos de desprezo, privando seus praticantes do maior de todos os direitos: o direito ao Reino dos Céus, já que perdem a amizade de Deus com seus pecados.  O que se diria, igualmente, de um homem assumindo-se como "corno" e buscando direitos e privilégios à guisa de sua qualidade de corno?  Desta forma, jamais deve haver respeito a quem quer que seja na qualidade de homossexual.  Enfim, não bastasse a proliferação de AIDS estimulada por seu comportamento irresponsável, ainda temos que suportar o ônus causado por diversões inconseqüentes como esta.

35 comentários:

  1. Já fiquei sabendo de retiradas de gargalos de garrafas, bananas, cabos de ferramentas, etc., de ânus de homossexuais e de vaginas de adolescentes... É só conversar com o pessoal do SAMU e do Resgate para saber mais.

    ResponderExcluir
  2. Isso não tem nada a ver com alguma "demência homossexual". Pessoas doentes, isso sim, pois há taras de todo tipo, inclusive no universo heterossexual. Aliás, desse universo não se comenta coisa alguma. Desde os tempos de escolas ouvia relatos de meninas que introduziam todo tipo de objeto na vagina e participavam de festinhas com vários rapazes ao mesmo tempo.
    Então, contenha seus comentários preconceituosos e lembre: as pessoas em geral são doentes e não tão somente os homossexuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro realista, isso tem tudo a ver.

      Explico de forma bem simples:

      Mulheres que enfiam objetos na vagina continuam sendo heterossexuais, embora sejam depravadas praticando atos sexualmente desordenados, tal como ocorre com a masturbação, por exemplo.

      Homens que enfiam objetos no ânus não podem ser considerados heterossexuais, já que o fazem pelo seu desejo de serem passivamente sodomizados, o que é o sine qua non do homossexualismo. Embora existam homossexuais que não pratiquem a sodomia - o que é raríssimo - todo sodomita é um homossexual. Uma pessoa que enfia um objeto no ânus é um sodomita. Não pode ser um heterossexual. Quanto a questão de "doença", é fácil explicar igualmente: o homossexualismo não é uma doença mental, mas praticamente todo homossexual é portador de doenças mentais. Daí serem comuns tais aberrações.

      Viu bem? Não há preconceito algum. São conceitos. É o preto no branco.

      Vocês homossexuais sempre querem defender o indefensável com a conhecida e surrada acusação de "preconceito".

      Excluir
    2. Já ouvi falar de mandioca, garrafa de coca-cola.. Aff.. Qi coisa feia, e espantosa.. Esse caso da enguia pra mim é assustador..

      Excluir
  3. O cu é dele, ele faz o que bem entender com o seu corpo.O que realmente é um absurdo são os estudantes que por sinal, sem ética alguma filmaram a cirurgia sem nem ter a autorização do paciente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o cu é dele. Ele pode dele fazer o que quiser, desde que suas ações não tomem proporções sociais, como foi o caso, reclamando uma cirurgia em hospital público, mantido com o meu e o seu dinheiro a título de tributos.

      Quanto à falta de ética médica. Sim, falta de ética, há que se reconhecer. Mas já que filmaram, deveriam ter feito o serviço perfeito e filmado a cara do infame para que ele ficasse com tamanha vergonha que nunca mais repetisse a façanha.

      Excluir
    2. Da mesma forma que é um direito meu e seu também é um direito dele como de todos nós a utilização do hospital público.

      Excluir
    3. Um hospital público foi concebido para tratar pessoas doentes, e não sodomitas malucos que ficam enfiando porcarias no rabo. É por pessoas como você que apóiam essa safadeza que o nosso país é um lixo.

      Excluir
    4. É necessário resgatar a idéia de que cada um deve assumir a responsabilidade pela própria saúde. E nossa medicina socializada é uma verdadeira "vaca sagrada" para depravados como esse homossexual. No Brasil é assim: indivíduos sexualmente irresponsáveis recebem medicamentos antirretrovirais quando são contaminados pelo HIV e cirurgia de "troca de sexo" realizada pelo SUS, ao passo que os governos federal, estadual e municipal recusaram-se a fornecer um balão de oxigênio para que um garoto pobre pudesse respirar (http://www.boapolitica.com.br/saude/quando-o-estado-mata-o-triste-caso-do-garoto-morto-por-uma-economia-de-520-reais/).

      Excluir
    5. Com toda certeza, caro Alipio. É uma vergonha vermos comentários como estes de 'Nathany Gomes', considerando a precariedade da nossa saúde pública. Não sei dos hospitais públicos de Londrina, mas certamente há pessoas carentes demandando maior atenção de médicos públicos do que um vagabundo homossexual que se entala com objetos no ânus. Nos hospitais das grandes cidades, assistimos a cenas deploráveis de pessoas que mal têm onde se alojar. Não obstante, há pessoas padecendo de doenças involuntárias, como é o caso de doenças coronárias, diabetes e câncer e que não têm dinheiro suficiente para migrarem para um tratamento na rede particular. São doenças que têm fundo genético e não deliberados comportamentos de risco, como é o caso dos homossexuais. Entretanto, o nosso benigno Estado petista, como você disse, é uma "vaca sagrada" para com um não-desprezível grupo de irresponsáveis homossexuais que buscam doenças como o macaco procura banana. Esta reportagem aqui, de 2009, é estarrecedora. Depois disso, provavelmente irão parar em hospitais públicos e serão tidos como "coitadinhos" vítimas da AIDS. É a própria desmoralização do sentido público da saúde. Do jeito que as coisas vêm andando, seria preferível privatizar praticamente toda estrutura pública de saúde, mas num país com a nossa estrutura sócio-econômica, há de se reconhecer, seria desastroso com os mais pobres. Lamentavelmente, este terrível conchavo entre a esquerda governista e os homossexuais vêm desmoralizando o sentido público da saúde.

      Excluir
    6. Subscrevo, subscrevo. Pois é, baseei-me mais precisamente no atual contexto de perversão do "sentido público de saúde", o qual deve ser restaurado de maneira que as demandas mais importantes e prementes dos verdadeiros desvalidos sejam priorizadas em detrimento das descabidas exigências de anormais oriundos do estrepitoso, paparicado e bem articulado grupo de pressão LGBT.

      No mais, tenha um bom final de semana.

      Excluir
    7. Obrigado, meu caro. Que Deus esteja contigo!

      Excluir
    8. Concordo com um médico que cuidou de um vagabundo briguento e bêbado. Ele suturou o corte de uma facada sem anestesia e respondeu aos colegas que reservava o anestésico para as pessoas que se acidentavam ou necessitavam de cirurgias por problemas médicos não causados como o do comportamento irresponsável daquele sujeito. E assim deveria ter sido feito a retirada do peixe: sem anestesia!

      Excluir
    9. Vi comentários do tipo "o cu é dele e ele faz o que ele quiser". Concordo, desde que não envolva maus tratos a animais como a enguia que ele matou para seus prazeres sádicos!

      Excluir
    10. Na minha opinião ele só deveria ser atendido depois que todos do hospital fossem atendidos, sem nenhum caráter de emergência. O caso não foi um "acidente" e a enguia se alojou no rabo dele sem querer. Isso é uma atitude de um demente... Pq não usa um consolo?

      Excluir
  4. " (...) Quanto a questão de "doença", é fácil explicar igualmente: o homossexualismo não é uma doença mental, mas praticamente todo homossexual é portador de doenças mentais. " Achei super interessante a sua opinião em relação ao estado mental dos homossexuais. Agora só queria saber mais das suas fontes. De onde você conseguiu tirar esse dado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é opinião. São fatos. Comece por aqui:

      http://roberto-cavalcanti.blogspot.com.br/2012/01/militantes-homossexuais-admitem-que.html

      Depois mergulhe em todo tag "homossexualismo" para se informar mais a respeito.

      Excluir
  5. Realmente, pagamos absurdos em impostos para ser mal atendidos em hospitais publicos em casos de necessidade mesmo, enquanto o filho da puta enfia o peixe na bunda, e com certeza, passou na frente de muita gente que precisava de alguma outra cirurgia... agora o bonitão, vai cobrar indenização do hospital... com o dinheiro da indenização, vai construir um aquario pra criar piramboias... devia criar é Pacús!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que ele vai ter a cara-de-pau de cobrar indenização do hospital?

      Excluir
  6. Concordo absolutamente com toda a colocação do amigo Roberto Cavalcanti, mas estou rindo com o depoimento da Perolaine, achei ótimo, parabens.

    ResponderExcluir
  7. e realmente um absurdo enquanto idosos crianças morrem nas filas dos hospitais aguardando uma cirurgia um cidadao desocupado faz um papel desse e o brasil minha gente rsrs

    ResponderExcluir
  8. Eu acho que o preconceito predomina a cada dia mais na sociedade, principalmente envolvendo religião. O que acontece é que não só os homossexuais fazem este tipo de estripulia, como também os heterossexuais... o que acontece com uma mulher para ter relações com vários parceiros ao mesmo tempo não é normal. Mulheres também enfiam cabo de vassoura no ânus, elas também fazem sexo anal e nem por isso são homossexuais. Assim como muitos homen heteros sentem prazer nessa região. O fato deles quererem enfiar um animal vivo dentro de si, pode ser sim sinal de doença ou fraqueza mental, mas não é motivo para ter todo esse preconceito e julgamento de homossexuais que vocês estão expondo aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcela, preconceitos (pré-julgamentos) são atitudes perfeitamente legítimas e normais. Um exemplo trivial é que, ao olharmos para o céu e vermos nuvens negras, pré-julgamos que virá chuva. O pré-julgamento só se saberá acertado ou errôneo na prática, pois nem sempre nuvens negras no céu implicarão em chuva. Este é um juízo probabilístico. Outros exemplos comuns se dão quando ouvimos o zumbido da cigarra, ou avistamos um céu estrelado e pré-julgamos um dia seguinte de sol firme. Da mesma forma, tratam-se de preconceitos (pré-julgamentos) perfeitamente razoáveis, mas, da mesma forma, podem ser falíveis, pois o dia seguinte ao zumbido da cigarra e de um céu estrelado pode ser de chuva. Se os pré-julgamentos são perfeitamente legítimos, normais e razoáveis com coisas ou fatos, por que não poderão ser com pessoas? Assim, como pode um homem que enfia objetos no ânus para sentir prazer na região um heterossexual? É certo que heterossexuais também podem fazê-lo, como é o caso de mulheres que introduzam objetos na vagina, mas este é o caso da reportagem? Pergunto mais: isso é mais comum em heterossexuais ou em homossexuais? Se você responder que é mais comum em heterossexuais, você age de má fé ou está completamente mal informada, jogando essa cortina de fumaça no ar para super-proteger e paparicar homossexuais. Considerando a desproporcionalidade de homossexuais a habitualmente cometer tais atos, e principalmente sua fração pouco significativa na população, trata-se de uma total superficialidade acusar-nos de "preconceito". Aliás, acusação frenética e invariavelmente estúpida, que da mesma forma é atribuída às questões morais da religião cristã. Seja mais original, Marcela Cardoso, em vez de se colocar como mais um papagaio ou um disco arranhado do movimento gay! Estas suas acusações de "preconceito" poderiam ser o próprio preconceito às avessas contra a nossa opinião, mas não. Sequer são preconceituosas já que despidas de boa-fé, mas sim odiosas discriminações anti-religiosas contra quem tem consagrado para si o direito de conservar uma moral superior a sua.

      Excluir
    2. Você precisa de dados pra fazer essas afirmações. Como você sabe que determinado comportamento é mais comum em heterossexuais ou homossexuais, você viu algum estudo serio a respeito? Se tiver visto, me mostre. Preconceito é estupidez.

      Excluir
    3. Vejo ao fim desta página referências a Constituição Federal, lembrando que a lei fria aos leigos pode-se derivar várias interpretações, porem a hermenêutica vem a acalentar a visão a luz da norma.
      • IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
      Todos temos a liberdade para expressar nossas opiniões porem a essa liberdade dependendo da matéria podem recair SANÇÕES cabíveis, o anonimato citado e para que quando essa livre manifestação se chocar com algum Direito Fundamental possamos acionar a justiça e que a mesma possa punir a quem couber a punição.
      Vejo que neste texto existe a excitação a atos discriminatórios, de pré-conceito, e de intolerância.
      Lei nº 8081, de 21.9.1990, que estabelece os crimes e as penas aplicáveis aos atos discriminatórios ou de preconceito de raça, cor, religião, etnia ou procedência nacional, praticados pelos meios de comunicação ou por publicação de qualquer natureza. CF.
      • VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei; CF.
      Para analisarmos melhor esta última lei deveremos tomar por base a comparação logica, logo ela (lei), não pode ser exercida passando por cima de outra Norma Fundamental, quando temos conflitos deste tipo a lógica e que devemos fazer prevalecer o direito subjetivo, ou seja, assegurar o direito a personalidade e dignidade da pessoa humana.
      Lei nº 8081, de 21.9.1990, que estabelece os crimes e as penas aplicáveis aos atos discriminatórios ou de preconceito de raça, cor, religião, etnia ou procedência nacional, praticados pelos meios de comunicação ou por publicação de qualquer natureza.
      Para clarear a ideia do autor do post que não deve entender de Direitos Fundamentais e NEM DE NORMA ALGUMA, você meu querido pelas suas ideias e pelas expressões homofobicas (discriminatórias ou de preconceito), pode muito bem responder a uma ação processual em fórum cabível.
      Para deixar bem claro caso você ainda não entenda.
      • A liberdade de Expressão e de Culto Religioso, não anula a Lei nº 8081, de 21.9.1990 e a mesma se sobressairá caso você seja citado em alguma ação processual.

      Excluir
    4. Nika, depois de toda essa verborragia pseudo-jurídica, você pode explicar o que significa "excitação" a atos discriminatórios?

      Excluir
    5. Beatriz, o que esse blog mais tem é estudos sobre a relação entre pedofilia e homossexualismo. Não seja tão preguiçosa, querida, e procure pela informação ao invés de pedi-la de bandeja pra nós.

      Excluir
  9. Acredito que a embriaguez, como diz a Palavra de Deus, é pecado. A Organização Mundial de Saúde, entretanto, considera-a "doença". Não creio que alguém possa ser considerado imputável diante de Deus por uma doença, mas por aquilo que seu comportamento desregrado possa levá-lo a cometer pecado. No caso do homossexualismo, a Palavra de Deus também diz que é pecado. A Organização Mundial de Saúde considerava-a até há algumas décadas, "doença". Novamente, não poderíamos culpar ninguém por ser doente...E por pressão dos próprios interessados, do seu "lobby", passou a ser considerada opção, depois preferência, tendência e agora "orientação". Nem eles mesmos se entendem. Não acho entretanto que devamos afirmar que nenhuma pessoa merece respeito como homossexual, porque a Palavra de Deus diz..."Tais fostes alguns de vós".(1 Corintios 6,11). Alguns homossexuais podem ser alcançados pela Graça Redentora, encaminhados à reconciliação, e transformados de pecadores públicos, em penitentes e regenerados. Deus odeia o pecado, é verdade, mas ama o pecador. Não quer a morte do pecador, mas que se converta e viva. Heterossexuais promíscuos, que praticam homossexualidade como "requinte de luxúria" também merecem, se não se converterem, a justíssima condenação pelo nefando pecado. Adúlteros e masturbadores idem. Sequazes da pornografia e idólatras da avareza também. Nenhum impuro, nenhum avarento, nenhum mentiroso, terá parte no Reino de Cristo e de Deus. A pessoa humana, a despeito da sua pecaminosidade, é também objeto da misericórdia infinita de Deus; não desaparece de todo dela, embora desfigurada, a sua condição originária, subsiste nela o universal, a humanidade, que possui tal dignidade, e inviolável, pois é imagem de Deus. A Igreja Católica, por ser a depositária e custódia da revelação divina plena, através de Jesus Cristo, jamais, em tempo algum, endossará este raciocínio de que uma pessoa não merece respeito enquanto homossexual. A propagação de uma incitação violenta e odiosa, que pode advir da disseminação de uma idéia anticatólica como esta, também é elegia da soberba, da presunção de justiça própria; e como expressão de ódio e segregação da humanidade, foi, é , e sempre há de ser, pecado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Igreja Católica, por ser a depositária e custódia da revelação divina plena, através de Jesus Cristo, jamais, em tempo algum, endossará este raciocínio de que uma pessoa não merece respeito enquanto homossexual.

      Bom, talvez porque você não saiba RIGOROSAMENTE NADA de doutrina católica e quer dar palpites sem qualquer fundamento.

      De acordo com a doutrina de São Tomás de Aquino (Suma Teológica, IIa. IIae., a. 6):

      Está dito nos Salmos ( Ps. 118, 13 ): "Odiei os iníquos". Ora, Davi tinha caridade. Logo, conforme a caridade, mais se deve odiar os pecadores do que amá-los.

      É próprio à amizade que desejemos para os amigos o que é bom. Ora, os Santos, inspirados pela caridade, desejam o mal para os pecadores, conforme aquilo dos Salmos ( Ps. 9, 17 ): "Sejam precipitados no inferno os pecadores". Portanto, os pecadores não devem ser amados segundo a caridade.

      Acresce que é próprio de amigos alegrarem-se com as mesmas coisas e querer o mesmo. Porém a caridade não leva a querer o que querem os pecadores, nem a alegrar-se naquilo em que eles se alegram; antes pelo contrário. Portanto, não é conforme à caridade amar os pecadores.

      Ora, não se deve conviver com os pecadores, conforme está escrito em II Cor. 6, 3: "Retirai-vos do meio deles". Logo, não se deve amar segundo a caridade, os pecadores.

      Os pecadores só podem ser amados segundo a substância, ou seja, na qualidade de seres humanos. Mas na sua culpa devem ser odiados, ainda que sejam pai, mãe, ou parentes, conforme S. Lucas 14, 26.

      Devemos com efeito odiar nos pecadores o fato de que são pecadores, e amar neles o fato de que são homens, capazes de bem-aventurança. E nisto consiste amá-los verdadeiramente, conforme a caridade e por amor de Deus.

      Ao primeiro argumento, pois, deve-se responder que o Profeta teve ódio aos iníquos enquanto iníquos, odiando sua iniqüidade, que é o que neles há de mal. É este o ódio perfeito, do qual o mesmo Profeta diz ( Ps. 138, 22 ): "Odiei-os com ódio perfeito". Pois pela mesma razão se deve odiar o que em alguém há de mal, e amar o que há de bom.

      Por onde também este ódio perfeito pertence à caridade.

      Ora, como Deus pode odiar o pecador e qualificá-lo como "digno de respeito"? Só mesmo através de sua distorção do livre exame dos textos sagrados.

      Vejamos então o que nos ensina Santo Afonso de Liguori:

      “Falando per se, ninguém é obrigado a amar o inimigo por um ato positivo e peculiar, nem a saudá-lo, a falar-lhe, a visitá-lo se enfermo, a consolá-lo se aflito, nem a recolhê-lo em uma habitação, ou a tratar familiarmente com ele, etc., porque estes são sinais especiais de amor.”

      Portanto, ninguém é obrigado a respeitar um homossexual nesta qualidade, mas sim na qualidade de ser humano, através da qual manifestamos sinais comuns de amor, e não sinais especiais de amor.

      Pode ser que você não seja nem remotamente católico, pois encontra-se entorpecido pela doutrina falsificada da seita do Vaticano II e volta suas costas à doutrina tradicional da Igreja. Por isso faz ilações completamente descabidas a respeito da doutrina católica.

      Excluir
    2. A propósito, embora eu tenha discordâncias com o Pe. Lodi em matéria doutrinária, sobretudo porque é um apoiador do Vaticano II, o que ele fala aqui é perfeitamente correto:

      "Como o homossexualismo é um vício, a Sagrada Escritura não hesita em incluir os homossexuais entre os que não herdarão o Reino de Deus:

      “Não vos iludais! Nem os impudicos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os depravados, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os injuriosos herdarão o Reino de Deus” (1Cor 6,9-10).

      Nessa passagem o Apóstolo usa duas palavras para designar os homossexuais: malakói (efeminados) e arsenokóitai (sodomitas).

      Será que nenhum dos que foram enumerados acima têm direitos? Certamente têm. O empregado que trabalhou para mim durante um mês tem direito a receber seu salário, mesmo que lamentavelmente se tenha embriagado. O ladrão que furtou meu dinheiro conserva seu direito à vida (e por isso eu não posso matá-lo).

      Mas o ladrão não tem direito à vida como ladrão, e sim como pessoa. Da mesma forma, o bêbado não tem direito ao salário como bêbado, e sim como trabalhador.

      Assim, se o homossexual tem algum direito, não o tem como homossexual, mas como pessoa. E assim como não faz sentido elaborar uma Carta dos Direitos dos Ladrões ou uma Declaração dos Direitos dos Bêbados, é absurdo uma lei que defenda os “Direitos dos Homossexuais”. Sendo um vício (e um vício contra a natureza!), o homossexualismo não acrescenta direitos à pessoa. Ao contrário, priva-a de direitos, a começar pelo direito ao Reino de Deus.

      Existe o “bom” homossexual?

      A tradição popular costuma referir-se a um dos companheiros de suplício de Jesus como o “bom ladrão”[4]. Na verdade, ele não pode ser “bom” na qualidade de ladrão. Tornou-se bom por ter-se arrependido dos roubos cometidos, por ter censurado o outro ladrão que insultava Jesus, e por ter suplicado misericórdia.

      Analogamente, um homossexual, como tal, não pode ser “bom”. Por definição, ele é alguém que – como praticante de atos antinaturais – carece de idoneidade moral."

      Excluir
    3. Concluindo o raciocínio: se são pessoas dignas de ódio e de morte(cf. Rm. 1, 32), nesta qualidade, e ainda por cima inidôneas, como podem, paradoxalmente, serem consideradas dignas de respeito, na sua absurda visão?

      Excluir
    4. Para finalizar, se os homossexuais fosse "dignos de respeito" nesta qualidade, por que São Pio V iria sujeitá-los à morte como punição "apropriada"?

      "São Pio V

      Esse crime horrível, em conta do qual cidades corruptas e obscenas foram destruídas pelo fogo através da condenação divina, nos causa amargura e choca nossa mente, nos impelindo a reprimir um tal crime com o maior zelo possível.

      Bem oportunamente o Quinto Concílio de Latrão [1512-1517] publicou esse decreto: "Deixe qualquer membro do clero ser surpreendido naquele vício contra a natureza . . . ser removido da ordem clerical ou forçado a fazer penitência em um monastério (chap. 4, X, V, 31). De forma que o contágio de uma tal grave ofensa não possa avançar com maior audácia tomando vantagem da impunidade, que é a maior incitação ao pecado, e de forma a castigar mais severamente os clérigos que são culpados desse crime nefando e que não ficam assustados pela morte de suas almas, nós determinamos que eles devam ser entregues à severidade da autoridade secular, que impinge a lei civil.

      Portanto, desejando perseguir com o maior rigor que nós temos decretado desde o início de nosso pontificado, nós estabelecemos que qualquer sacerdote ou membro do clero, tanto secular ou regular, que comete um tal execrável crime, por força da presente lei seja privado de todo privilégio clerical, de todo posto, dignidade e benefícios eclesiástico, e tendo sido degradado por um juiz eclesiástico, deixe-o ser imediatamente entregue à autoridade secular para ser entregue à morte, como determinado pela lei como a punição apropriada pelos leigos que afundaram nesse abismo."


      (Constitutionn Horrendum illud scelus, August 30, 1568, in Bullarium Romanum, Rome: Typographia Reverendae Camerae Apostolicae, Mainardi, 1738, chap. 3, p. 33)

      Excluir
  10. Congratulo o autor pelo seu artigo. Confesso que até me surpreendi quando vi que o autor é um católico conservador e seu blog se dedica a esse público, entretanto esse artigo eu recomendaria para qualquer pessoa de esquerda. Gostei da abordagem por, ao contrário de outras, não mostrar isso como sendo algo "próprio da esquerda" ou "culpa dessa".

    Me considero esquerda, marxista-leninista, e entendo como plenamente válidos os argumentos aqui lançados, que também já lancei em meu blog, A Página Vermelha. O que esse blog traz aqui não é nenhuma novidade para mim, em minhas aulas de medicina legal, visitei um hospital público no RN e o médico relatou-nos um procedimento que se dava para retirada de um tubo de desodorante Axe(aqueles antigos bem largos) de um homossexual, era uma aula sobre parafilias. Antes disso, eu achava que se tratassem de "lenda urbana". Um médico que conheço, do RS, relatou-me uma cirurgia que fez para retirar uma mandioca do ânus de um paciente, e detalhe, ela era esculpida em forma de um falo! Seria cômica se não fosse trágica a versão do paciente, segundo o qual "estava calor"(num frio de 10 graus), então ele resolveu "limpar a janela e quando cansou sentou-se sem querer no objeto".

    Certa vez, o grande escritor soviético Maxim Gorkiy, escreveu que essa prática "estraga a juventude", e esse vídeo mostra bem o quão degenerados alguns sujeitos se tornam. Como bem dito aqui, o homossexual deve sim ser respeitado por seu talento, por seus méritos enquanto indivíduo, não por causa de sua opção. Por mais que eles também paguem impostos, médicos que poderiam estar tratando de operações mais importantes acabam tendo que desfazer os erros motivados pelos caprichos de alguns!

    ResponderExcluir
  11. Eu me considero Homossexual pelas minhas praticas de antigamente,e de que pelo fato ainda tenho visto videos de gays,mas nao tenho ficado com caras ha anos pelo simples fato de que acho errado e não está de acordo com os principios biblicos.
    tento me conter ao máximo e quando surge a vontade de fornicar eu via videos gays,mas espero que Deus me dê força.
    li seu texto e no fundo achei um pouco de pré- conteito e generalização de todos os gays,dá a impressão de que todos praticam tais atos de introdução de objetos.
    Quero que saiba que há sim Gays que lutam contra seus desejos,não querem direitos igualitários,e tão pouco união civil.
    mas somente um pouco de respeito,não so como alguem que paga seus impostos em dia,mas como pessoa.
    fora esta pitada de generaliza todo mundo,eu adoro seu blog e postagens em defesa da familia.
    Fique com Deus.

    ResponderExcluir

Reservo-me no direito humano de não publicar asneiras, comentários desrespeitosos e descontextualizados.

Este é um Blog católico e conservador feito para católicos e conservadores. Quem ler o Blog e se desagradar de suas publicações, é simples: não leia o Blog. Se quer contestar as opiniões, que o faça educadamente. Respeitar para ser respeitado é a lição número 1. Do contrário, procure um Blog com o seu perfil ideológico. A Constituição Federal resguarda nossa maneira de pensar:

Art. 5º da Constituição Federal:

IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

(...)

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

Aos desavisados, aviso:

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...